Engarrafamentos, espaços apertados — cada vez mais carros na rua. Seja nas vias expressas, na estrada ou dentro da sua cidade, dirigir é uma tarefa que exige uma série de cuidados. Afinal, uma batida, além de dores de cabeças e estresses, pode causar danos aos passageiros e a você mesmo, motorista. Em 2016, o número de mortes nas ruas e estradas norte-americanas aumentou 14%, comparado a 2014.

Por isso, preste atenção às nossas dicas sobre o trânsito nos EUA, para ajudar a garantir a sua segurança.

Trânsito nos EUA: um panorama

O primeiro passo para entender como funciona o trânsito nos EUA e, consequentemente, evitar acidentes é conhecer bem a legislação do país. Nós já preparamos um material bem completo para ajudar você nessa tarefa, disponível aqui no blog.

Outro ponto super importante é saber como anda o trânsito por aqui, para que seja feito um comparativo. Sabemos que, comparativamente, os Estados Unidos está em patamar mais elevado que o Brasil, seja na manutenção das vias como na organização geral. Todavia, é preciso saber como esse panorama está internamente.

Você sabia que, no ano passado, o número de mortes no trânsito ficou acima de 40.000, sendo o maior dos últimos 9 anos? Segundo uma pesquisa de uma ONG de segurança viária, os estados com os piores registros foram Texas, Califórnia e Flórida.

Uma das razões para esse aumento, de acordo com o mesmo estudo, pode estar justamente no combustível mais barato e no crescimento da economia (relação mais veículos – mais movimento – mais acidentes).

É importante também destacar as maiores causas de acidentes no trânsito dos EUA:

  1. excesso de velocidade — 64%;

  2. interagir com o celular (mensagens de texto e áudio) — 47%;

  3. dirigir sob influência de maconha — 13%;

  4. e dirigir sob influência de álcool — 10%.

Só que fica a pergunta: o que você pode fazer para diminuir a probabilidade de envolvimento em acidentes?

Manutenção em dia: uma importante aliada

Seu carro precisa estar funcionando sempre da melhor forma. Por isso, é fundamental realizar checagens periódicas para conferir a parte elétrica, óleo, radiador, faróis e piscas, pedais e pneus.

Vale lembrar que, dependendo da época do ano, é preciso ter cuidados diferentes. Durante o inverno norte-americano, por conta das baixas temperaturas, da neve e do granizo, é  preciso lembrar de fazer a troca dos pneus e cuidar do sistema de tração (para quem mora em estados onde neva, a melhor opção é investir em um carro AWD — All Wheel Drive). Aliás, durante as épocas de frio e chuva é que as chances de acidentes aumentam, seja por conta da baixa visibilidade como das vias escorregadias.

O perigo dos dispositivos móveis

Entendemos que o celular se tornou, para muitas pessoas, um item indispensável para a vida social, pessoal e para o trabalho. Mas, conforme alertamos aqui no artigo, interagir com o celular ao dirigir é a segunda principal causa de acidentes de trânsito nos EUA. Segundo o NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), usar um dispositivo móvel — celular, smartphone, tablet — ao volante pode aumentar em 400% a chance de acidentes, representando um perigo maior do que condutores embriagados.

Um exemplo: para conferir a identidade de quem está ligando, o tempo médio gasto é de 4,5 segundos, enquanto, para reagir diante de um imprevisto, são 2,5 segundos (1,5 para perceber o perigo + 1 para agir). Ou seja, numa emergência, ao olhar no celular, são 7 segundos para começar a reagir. Se você estiver a 100 km/h, percorreu 60 metros — isso sem contar o tempo que o carro demora, efetivamente, a parar.

É lógico que existem, hoje, muitos veículos com a tecnologia hands free, permitindo que diversas ações sejam comandadas apenas pela voz, incluindo realizar e atender chamadas, usar o GPS e ouvir e enviar mensagens. O único “porém” é no que diz respeito à concentração. Se o trânsito está complicado ou a situação no telefone exige maior atenção, o melhor é executar apenas uma das tarefas.

Atenção à preferência

O trânsito nos EUA é assim: o pedestre tem sempre (!!!) a preferência. E as placas de PARE precisam ser respeitadas. Não basta diminuir a velocidade para ver se tem alguém ou alguma coisa passando. No caso de um cruzamento sem semáforo, as 4 vias têm sinalização de parada e os 4 carros param totalmente. Sairá primeiro quem chegou primeiro — simples assim.

Outra questão, muito mais delicada, é a dos engarrafamentos, que conseguem tirar qualquer um do sério. Vale lembrar que todo mundo tem hora para chegar a algum lugar. É bastante provável, também, que outras tantas pessoas estejam tão ou mais atrasadas do que você para um compromisso — só que desespero e volante não combinam juntos. Por isso, lembre-se das palavras do profeta: “gentileza gera gentileza”.

Isso vale para a hora de deixar alguém entrar ou sair na agulha da Freeway. Se já existe uma fila de carros à frente, não existe muita razão em se apegar ao seu lugar na fileira. Ceder alguns metros pode ser muito menos estressante do que buzinar e xingar. Experimente!

Outro momento de atenção é ao dirigir durante a madrugada. Por ser um momento com poucos carros rodando e com mais motoristas imprudentes (cansaço, álcool, etc.), considere sempre a possibilidade de ceder a passagem nos cruzamentos, mesmo que o sinal esteja verde para você. São alguns segundos que podem, literalmente, salvar a sua vida.

Portanto, vá além das indicações de PARE e siga sempre com calma e cautela.

Gostou da nossa postagem? Sente-se mais seguro para encarar as vias norte-americanas sem medo ou sustos? Na dúvida, a melhor estratégia de ação é se colocar no lugar do outro e relativizar a sua pressa em chegar. São apenas alguns segundos que podem ser a diferença entre uma batida, dores de cabeça, ferimentos e até a morte, ou agir de forma calma e correta.

Agora que você já aprendeu como evitar acidentes no trânsito dos EUA, que tal indicar a leitura para outros amigos que, como você, também encontraram no país melhores condições de vida e de trabalho? Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e faça o conhecimento circular!

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s