Encontrar um carro usado é um trabalho que pode ser bastante cansativo, principalmente se você está buscando algo que atenda bem às suas necessidades e aos desejos de conforto e segurança de toda a sua família.

Todos os dias, uma série de novas histórias é contada a respeito de experiências frustrantes com a compra de um carro usado, seja por decepções com os itens de conforto, problemas mecânicos, alto custo de manutenção ou até mesmo pelo fato de a família não ter gostado da experiência de viajar naquele automóvel. Muitas dessas insatisfações já se iniciam na agência que o interessado busca para comprar seu veículo.

Para que você evite erros ao comprar um carro, de maneira que consiga estabelecer alguns pré-requisitos para fechar o negócio, preparamos estas dicas sobre o que não fazer na hora de adquirir seu carro usado. Acompanhe os tópicos abaixo e acerte na compra!

1. Não ter atenção à sua própria realidade

Antes mesmo de iniciar a busca por um carro usado, é importantíssimo pensar qual será a real funcionalidade do seu próximo veículo. Isso quer dizer que será necessário fazer uma avaliação a respeito de diversos aspectos da sua vida.

Caso você seja solteiro ou solteira, por exemplo, não precisará gastar uma quantidade a mais de dinheiro em um veículo grande, como uma SUV ou uma minivan. Normalmente, o que as pessoas solteiras privilegiam é um veículo potente, funcional e que chame a atenção por seu visual arrojado.

Agora, caso tenha uma família, quantas são as pessoas em sua casa? Qual é a idade dos filhos? Existe a possibilidade de expandir a família em um futuro próximo? Os amiguinhos deles, assim como outros parentes, costumam fazer viagens com a família?

Tudo isso deve ser levado em consideração para que a compra de um novo veículo não seja uma experiência frustrante por algum desses motivos.

2. Pensar apenas no valor da parcela

Imagine que você passou a ter uma fixação por determinado tipo de veículo, mas acontece que a sua realidade financeira não é condizente com a compra daquele carro.

Em uma visita despretensiosa a uma agência de veículos, você encontra o carro dos seus sonhos e informa seu interesse ao atendente, que passa a sua situação para o setor de vendas. Com isso, o vendedor aperta daqui, aperta dali e, por fim, encontra um plano de pagamento em que as parcelas caberão no seu orçamento, no fim das contas. Maravilha, não é?

Na verdade, não há nada de fantástico em comprar um veículo tendo como único pré-requisito o valor das parcelas. A pesquisa para evitar erros ao comprar um carro deve ser muito completa, colocando como pontos vitais os custos de manutenção, o valor do seguro, o valor dos impostos e, inclusive, o tempo que você demorará para quitar esse veículo por completo.

Além de tudo isso que citamos acima, a taxa de juros em planos muito extensos de pagamento pode fazer com que você pague um valor equivalente a dois ou até mesmo três carros ao longo do tempo. Portanto, cuidado com o imediatismo ao comprar um carro usado!

3. Ignorar a finalidade do carro

Assim como compreender bem o contexto em que o veículo vai se inserir em sua vida, ou seja, o tamanho da sua família, a sua rotina e as pessoas agregadas, como família e amigos, é necessário ter claramente a noção de qual será a finalidade do seu próximo carro usado.

A pergunta “por que eu preciso de um carro agora?” é bastante válida nesse tipo de situação.

Um carro com o qual você viajará constantemente, transportando sua família e grandes bagagens, é algo bastante diferente de um veículo que só é usado para trafegar na cidade em trajetos curtos, em que normalmente você está sozinho.

Uma escolha inadequada nesse sentido é um dos erros mais comuns que se pode cometer ao comprar um carro. São muitas as pessoas que adquirem veículos simplesmente porque são bonitos, têm itens interessantes como acessórios ou até mesmo porque simplesmente gostaram das propagandas.

O ideal é que seja feita uma avaliação cuidadosa a respeito de qual será o tipo de uso do seu próximo carro. Fazer a escolha certa pode te levar a economizar um bom dinheiro não só na compra, mas também com as manutenções e com a depreciação (no caso de utilitários e outros veículos a serem utilizados profissionalmente). Além disso, você poderá ter a certeza de que não comprou um veículo que seria inútil na maior parte das vezes em que precisar de um carro.

Dessa forma, ao considerar a compra de determinado modelo, sempre imagine como ele se sairia em atividades do seu dia a dia e quanto você está disposto a pagar por sua manutenção. Isso vale não só para aqueles que pretendem fazer uso do veículo em atividades corriqueiras ou viagens em família, mas também para pessoas e empresas que utilizam o carro para trabalhos mais pesados ou que exijam longos períodos em atividade.

4. Ficar empolgado com a oportunidade

No caso dos veículos usados, a questão da oportunidade em ter um veículo dos sonhos não está apenas nos aspectos financeiros da compra.

Em um dos tópicos anteriores, citamos a possibilidade de parcelar o valor do veículo de uma forma que as parcelas “caibam” de forma confortável em seu bolso ao longo de alguns meses. Outro aspecto que pode parecer bastante interessante do ponto de vista financeiro é a possibilidade de pagar o carro à vista por um valor baixo ou até mesmo ter que complementar uma baixa quantia caso você faça uma troca de automóvel. Mas já ouviu a famosa frase “quando a esmola é de mais, o santo desconfia”? Quando o assunto é comprar um carro, nada mais válido.

Independentemente das condições de compra, jamais abra mão de verificar os aspectos mecânicos e as condições de todos os componentes internos e externos, como revestimentos, lataria, luzes e outras questões importantes, para que o único trabalho que você tenha seja o de ligar o veículo e sair andando por aí.

É claro, porém, que, se houver uma conversa bem honesta sobre todos os motivos que levaram o vendedor a anunciar aquele veículo a um valor tão baixo ou com condições demasiadamente facilitadas, essa pode continuar a ser uma boa compra.

Mas ser pego de surpresa após pensar estar realizando um negócio excelente não é algo tão difícil de acontecer. Uma necessidade de manutenção inesperada ou a descoberta tardia de que aquele carro já sofreu algum sinistro são relatos comuns de pessoas que se empolgaram demais com a oportunidade de adquirir de forma fácil, rápida e barata.

5. Não atentar aos detalhes

Ainda falando a respeito de pessoas que vão com muita sede ao pote, ou seja, que adquirem um carro usado de uma forma afoita, existe a questão de vários detalhes naquele veículo ou à respeito do automóvel negociado, passarem despercebidamente aos olhos do novo comprador.

Primeiramente, pense que um veículo sofre uma desvalorização considerável ao menor indício de defeito. Normalmente, quando se compra um veículo, mesmo usado, você pensa que pode vendê-lo depois quando avaliar a possibilidade de adquirir um modelo mais novo ou mais adequado para você naquele momento.

Sempre avalie cada detalhe em todo o veículo. Verifique no entorno da lataria a presença de riscos, repinturas malfeitas, amassados e outros defeitos que podem fazer com que o valor seja negociado ou você simplesmente desista de levar aquele carro para casa.

Em se tratando da parte mecânica, caso você não tenha conhecimento desse assunto, ainda assim pode ser feita uma análise inicial, verificando a funcionalidade de partes elétricas, a presença de ruídos estranhos ao funcionamento do carro e até algum odor ou vazamento em alguma parte do veículo. Mas não dispense a ajuda de um profissional, para que nenhum detalhe possa lhe causar algum incômodo posterior.

Outro ponto que precisa ser verificado é a questão dos documentos, impostos e tributos relacionados ao veículo. São muitas as pessoas que se preocupam com os aspectos mecânicos e visuais do carro a ser comprado, mas se esquecem dessa parte burocrática e acabam passando por grandes dores de cabeça depois de um tempo.

Todos esses detalhes, muitas vezes simples de serem percebidos e resolvidos, necessitam de uma atenção especial quando você estiver adquirindo o seu carro usado. A tentativa de ganhar tempo na hora errada pode fazer com que você passe por uma perturbação cara e sem precedentes pouco tempo depois.

6. Não financiar o veículo

Nós citamos anteriormente a possibilidade de adquirir o veículo à vista, te livrando de ter que pagar prestações durante algum tempo e fazendo com que você tenha um bem totalmente quitado. Mesmo assim, consideramos que um dos erros ao comprar um carro é não o financiar.

Mesmo que você tenha uma boa quantidade de dinheiro guardado, financiar um veículo pode te dar a opção de adquirir um modelo mais recente e, em consequência, mais moderno, o que implica que será um carro com que você vai poder passar mais tempo, evitando o problema de ter que refazer essa busca minuciosa a cada dois anos ou menos.

Tudo é uma questão de planejar seu orçamento para que as parcelas caibam de forma tranquila em seu bolso.

Obviamente, existe o problema da análise de crédito, já que muitas empresas fazem rigorosas pesquisas sobre a vida pregressa da pessoa, de forma a garantir que ela realmente vá honrar seus compromissos com as parcelas. Mas, caso você tenha algum problema quanto a isso, existe a opção de tentar o financiamento junto a empresas que oferecem condições especiais para que o seu crédito seja aprovado.

Uma dessas empresas é a Inman Motor Sales. Por meio deste link, você poderá preencher uma ficha simples e verificar a possibilidade de financiar um veículo que atenda ao seu gosto e a suas expectativas, mesmo com algum tipo de restrição em seu nome. Não deixe de conferir essa possibilidade. É provável que você esteja mais próximo do carro dos seus sonhos do que imagina, basta descobrir como fazer isso!

7. Comprar o modelo errado

Comprar um veículo é algo que exige uma série de pesquisas a respeito de marcas, modelos, motorização, cores, itens de conforto, funcionalidade, adequação à realidade do comprador, etc.

Vamos supor que você tenha feito uma minuciosa busca na internet a respeito dessas diversas questões, visitou concessionárias, fez perguntas e consultas a diversas pessoas, mas, na realidade, você apenas confiou nas informações e não conhece nada a respeito de carros. O que vai te garantir que o modelo da marca escolhida é realmente o carro que está adquirindo?

Acredite. Adquirir o modelo errado é algo mais comum do que você imagina. São vários os relatos de pessoas e revendedores de veículos que informam que isso aconteceu a quem estava querendo adquirir um veículo usado.

Existem algumas formas de evitar que você leve para casa um veículo que não era bem o que desejava inicialmente.

Uma delas é observar os aspectos visuais do carro. Eles costumam variar de modelo para modelo em alguns detalhes, inscrições na lataria, acessórios, etc.

Outra forma é consultar o documento do veículo e comparar com as informações provenientes de outras fontes, como fichas técnicas, informações de testes, entre outras.

A internet é uma fonte riquíssima de informações nesse sentido. Caso necessite consultar a diferença entre o modelo que quer e as outras opções oferecidas pela marca, basta fazer uma consulta rápida e tudo o que você precisa vai estar lá.

Todas as informações acima podem evitar que você gaste algum dinheiro a mais, ou até mesmo tenha que ficar com um veículo que não te agrade ou não te atenda bem por um bom tempo.

Pode parecer algo impossível para quem gosta ou entende um pouco de carro, mas mesmo assim é indicado que você jamais confie apenas nos seus olhos nesse caso.

8. Fazer compra de carros maquiados

Como dissemos anteriormente, na fase de finalmente pegar as chaves do veículo, você já fez uma série de pesquisas sobre a marca e o modelo do carro desejado, discutiu com a sua família sobre o que seria melhor para vocês e sobre todo o contexto de vida envolvido e finalmente vai sair da loja dirigindo o veículo que parece ideal para a sua vida atual.

Daí você se depara com o veículo e ele parece impecável, brilhando, todo reluzente, inclusive com brilho nos pneus. Dentro do carro, o aroma é animador. Parece que, mesmo sendo um carro usado, ele jamais foi dirigido por ninguém. Então é hora de o levar para casa, certo? Nem sempre.

Existem técnicas de lanternagem, limpeza, aplicações de produtos e trabalhos similares que podem maquiar com uma quase perfeição alguns problemas bem sérios.

Entre esses problemas, o veículo pode ter sido batido, tendo seus amassados preenchidos com massa corrida ou outra solução adesiva, várias peças podem estar com a manutenção completamente vencida, os pneus podem ter sido remanufaturados e, inclusive, alguns problemas com a documentação podem estar disfarçados.

A solução para isso, em primeiro lugar, é adquirir o veículo em um local em que você possa confiar. Não deixe de buscar referências. Lembre-se de que você está deixando o seu valioso dinheiro com alguém que pode estar te enganando sem nenhum tipo de pudor.

Em segundo lugar, não deixe de levar um mecânico de confiança para te auxiliar com qualquer tipo de vistoria que você realizar no veículo que deseja adquirir. Não se acanhe em fazer nenhum tipo de pergunta a ninguém que tenha possibilidade de te ajudar. Seu dinheiro e a sua tranquilidade é que estão em jogo nesse caso.

9. Esquecer-se do seguro

O tópico anterior cita toda a importância que você deve dar ao seu suado dinheiro na hora de adquirir o veículo de sua preferência. Nesse sentido, você deve fazer tudo para que um prejuízo grande seja evitado.

É claro que ninguém compra um veículo pensando em bater em algum poste, que ele pegue fogo ou seja furtado. Mas, infelizmente, você deve se lembrar que esse tipo de situação é passível de acontecer com qualquer ser humano que tenha um automóvel.

Tendo em vista as questões acima, contrate um seguro imediatamente ao ter o veículo em suas mãos. Quantos dos seus amigos ou parentes já não lhe relataram acidentes ou outros problemas envolvendo seus carros? Isso serve para que você reflita que não se trata de uma situação incomum, por mais que em diversas situações possa ser evitada.

Normalmente, a própria agência ou empresa de leilão que está vendendo o veículo tem o contato de empresas de seguro que podem lhe servir bem. Mas o que é realmente indicado é que você conheça um bom corretor, que possa lhe oferecer a melhor opção entre as cotações.

10. Ignorar o test drive

Por mais que um veículo lhe atenda perfeitamente no visual, na quantidade de lugares, na motorização e em diversos outros aspectos que você exige que estejam dentro certos padrões, pode estar faltando algo aí.

O conforto em dirigir, a reação da suspensão, a resposta do veículo ao comando e a facilidade de visualizar outros elementos do caminho podem ser fatores decisivos para que você finalmente se decida por fechar negócio e ir dirigindo para casa.

Tudo isso que foi citado acima poderá ser constatado com um simples test drive.

Lembre-se de que um bom test drive não se trata de apenas uma volta no quarteirão com o carro. Procure simular ao máximo situações que podem lhe parecer corriqueiras, inclusive em se tratando de manobras, direção em velocidade mais elevada etc.

Após ler com atenção o nosso guia, você dificilmente vai errar por omissão de algum problema ou desatenção a respeito de alguma questão importante envolvendo um carro usado. Lembre-se de que são o seu dinheiro, a sua segurança e o bem-estar da sua família que estão envolvidos nessa compra. Não se trata apenas de uma questão de status ou realização de um sonho.

E aí, você já cometeu erros ao comprar um carro usado? Tem alguma história ou dúvida que queira compartilhar com a gente? Então deixe um comentário aqui! Nós vamos adorar saber!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s