Um item fundamental para o motorista rodar com o menor risco de sofrer acidentes é o pneu adequado ao seu veículo. Por isso, é preciso saber os tipos de pneus existentes e instalar o correto para o seu uso diário.

Quer entender qual pneu vai garantir o melhor desempenho no seu automóvel, mais economia de combustível e menos gastos com peças? Continue a leitura e confira!

On-road

Essa classificação de pneu é indicada para quem roda na cidade e na rodovia para fazer pequenas ou grandes viagens, ou seja, em vias que possuem asfalto. Uma das características dele é que os sulcos (pequenas elevações na borracha) são pequenos para que o contato com o solo seja mais próximo, o que garante maior aderência do seu veículo.

Eles têm desempenho voltado para o tráfego das cidades e, inclusive, são preparados para “vencer” a pista molhada, que se transforma em um grande risco para motoristas, já que, nessas condições, a via fica escorregadia e mais propensa a causar colisões.

Mais velocidade e consumo correto de combustível

Por ter uma maior aderência ao solo, esses tipos de pneus também permitem que o carro desempenhe velocidades maiores, o que vai acontecer nas rodovias. Com mais velocidade, o veículo tende a ficar mais leve por questões da física. Assim, é fundamental que o automóvel fique “colado” à rodovia para não perder a aderência.

Outra característica é que os pneus devem fornecer o contato mais indicado para o tipo de solo que você vai rodar para permitir um consumo de combustível correto. Os on-roads vão garantir a economia ideal porque estão estruturados e adaptados para as vias asfaltadas. Claro que essa questão de consumo está ligada também à forma como o condutor vai dirigir, com relação a velocidade, mudanças de marchas etc.

Os pneus também estão diretamente ligados à suspensão. Quando eles estão sendo utilizados incorretamente, causam esforços desnecessários em outras peças, que vão estragar mais rapidamente.

Off-road

Quem está acostumado a pegar terrenos irregulares, em que o asfalto é mais raridade do que regra, o pneu off-road vai permitir o contato ideal com esse tipo de solo. Os off-roads são característicos por terem sulcos maiores com relação aos on-roads. Eles têm banda de rodagem mais larga para que possam atuar em uma área do solo maior e superar as dificuldades que a lama, por exemplo, proporciona.

Até mesmo os cortes, que são os vãos existentes entre os sulcos, são mais fundos para que, literalmente, o pneu possa “agarrar” o terreno e conseguir fazer o veículo se movimentar. Uma estrada arenosa, por exemplo, precisa que o veículo tenha condições de superar os efeitos que ela proporciona, que é de segurar mais o automóvel.

Os sulcos maiores e os cortes mais fundos permitem que dirigir nessas condições fique mais viável e seja possível locomover-se. Pistas lameadas e cheia de buracos causam essa mesma situação de rodagem difícil. Os off-roads têm as características necessárias para vencer essas condições.

Bom desempenho em terrenos irregulares

Esse tipo de pneu também possui uma carcaça mais reforçada, porque vai ser exigido de forma extrema, justamente porque os solos em que ele está preparado para rodar não são lisos e asfaltados. A estabilidade do veículo está muito ligada ao tipo de rodante montado nas rodas.

Nenhum solo off-road vai permitir que os on-roads tenham bom desempenho e garantam a segurança necessária para o motorista e os passageiros.

Misto

Os pneus identificados como mistos são montados para superar terrenos irregulares e de terra, ao mesmo tempo em que permite que o veículo possa rodar na cidade ou rodovia. O desempenho dele em ambos os solos é satisfatório, mas, por precisar se adaptar a duas situações bem distintas, ele também tem limitações.

Para que seja possível garantir aderência ao asfalto, mas consiga superar a lama e areia, a sua estrutura (sulcos, cortes, carcaça) foi adaptada para um meio termo de uso. O uso deles em terrenos off-road, que acabam sendo mais exigentes, precisa ser dosado. Apesar de ter sua característica voltada para rodar nessas condições, em áreas com tráfego muito dificultado, não se pode esperar que ele consiga atingir os mesmos resultados de um verdadeiro off-road.

Funcionamento nos dois tipos de solo

Esse tipo de produto vai ser mais indicado para quem tem toda a semana pela frente na cidade, mas vai precisar pegar a rodovia algumas vezes e, durante finais de semana variados, acaba rodando na estrada de terra. Com certeza, não será uma chuva e lama que vai parar os pneus mistos, mas encarar um verdadeiro rally por vias lameadas e com areia pode resultar em surpresas desagradáveis e alguns sustos.

Os veículos produzidos para serem híbridos com relação ao solo saem de fábrica com os pneus mistos. Por isso, as caminhonetes são as que mais utilizam essa modalidade. Elas acabam sendo preparadas tanto para a cidade quanto para a terra.

Subdivisões dos mistos

Os mistos ainda podem ser encontrados com algumas subdivisões, definidas a partir do tipo de estrada que a borracha vai estar mais preparada para enfrentar: A/T é a subclassificação para os pneus mistos voltados para o uso em terra e asfalto, e M/T a identificação para os mistos que são mais indicados para lama e barro.

O que muda na estrutura desses pneus é como os sulcos e cortes estão estruturados para conseguir superar os desafios do terreno e também permitir segurança para o motorista.

Radial ou convencional

Além das classificações off-road, on-road e misto, os pneus ainda podem ser montados como radial ou convencional. Essa classificação vem junto com os tipos detalhados acima. Sendo assim, um on-road pode ser convencional ou radial, do mesmo modo que o misto pode ter ambas as estruturas. O off-road tem característica que não necessariamente atende aos propósitos do radial.

Diferença entre pneus radial e convencional

A diferença entre os pneus radial e convencional está na forma como eles são montados. O radial tem uma estrutura têxtil e uma cintura de aço colocada paralelamente à linha central da banda de rodagem, o que não existe no convencional. Quando o pneu radial torna-se extremamente gasto, é até possível ver essa cintura de aço, enquanto no convencional há somente os cordonéis das lonas.

Para quem pretende ter um desempenho maior em rodovias e rodar com velocidades mais altas, o radial tem uma aplicação mais indicada. Isso porque ele vai aguentar mais esforço nas acelerações e frenagens em alta velocidade, ao mesmo tempo em que cria uma aderência maior. O convencional suporta mais os choques e esforços para condições do off-road.

Sabendo de toda essa questão de segurança, agora ficou mais fácil escolher os tipos de pneus que são mais indicados para seu veículo com base no uso, não é mesmo? Para descobrir também como fazer os rodantes durarem mais tempo, saiba 10 cuidados com os pneus do seu carro

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s